quarta-feira, 5 de junho de 2013

A Felicidade Clandestina de Uma Pequena Princesa...


Bem, me lembro que  estava na 4ª série, e que a minha mestra, Da.Yett, começou a falar sobre o livro "O Pequeno Príncipe". Fiquei encantada!!!
Parecia que a cada fala dela, eu estava dentro da história, me imaginava correndo atrás da raposinha, falando com a flor..., enfim fiquei curiosíssima em ler o livro, mas meus pais não tinham dinheiro para comprar, era o tempo das vacas magras... fiquei até doente..,
Minha irmã, que era mais velha que eu, era quem lia para mim, até porque era com ela que eu ficava, pois meus pais trabalhavam. Mas eu não queria outros livros, queria "aquele", e como tê-lo?
Eis, que um dia, a professora presenteou-me com o livro “O Pequeno Príncipe”, me senti como a garota do conto “Felicidade Clandestina” de Clarice Lispector, não abria o livro, ficava abraçada com ele por horas. Quando resolvi abri-lo, vislumbrei as imagens, como se estivesse lá dentro de cada página... Viajei junto com O Pequeno Príncipe e tinha medo de que chegasse ao final do livro, pois aí, não teria mais o que ler...
Por um bom tempo meu livro de cabeceira foi “O Pequeno Príncipe”!!!
Vieram outros mais, ao longo de minha caminhada escolar, Pollyanna, Polllyanna Moça,  Sozinha no Mundo, A marca de uma lágrima, Bem vindos ao Rio, mas nunca me esqueço do livro que fez parte e contribuiu para a minha iniciação à leitura.
E hoje, quando descobri que existe o desenho do “Pequeno Príncipe”, não perdi a oportunidade de apresentá-lo ao meu filho, e toda semana assistimos juntos, o que me faz voltar no tempo...
E nunca vou esquecer-me da professora que foi de suma importância nesse processo de amor ao livro e à leitura.
E é dessa forma que tento, sempre, passar essse mesmo carinho e entusiasmo pela leitura para meu filho e meus alunos, que no fundo não deixam de ser um pouco meus filhos...

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Rosangela é muito interessante como um livro influencia em nossas vidas e nasce um amor pela leitura que desejamos incutí-lo em todos a nossa volta, não é? Quando você citou outros livros que leu, lembrei-me na hora de já tê-los lido (além do "Pequeno Príncipe" que é lindo), bateu uma saudade.

    ResponderExcluir
  3. Doris Rolim Araujo Trindade11 de junho de 2013 13:41

    Ler é sempre um prazer maravilhoso!
    Lendo, nos sentimos a personagem principal, nos transportamos para o "lugar" da história, como se fosse mágica...
    Esta sensação é mesmo deslumbrante!
    Depois de muitos anos e tantos outros livros já lidos, sempre nos lembramos dos que mais nos encantaram.
    É tão interessante lembrar das histórias...

    ResponderExcluir